quinta-feira, 25 de outubro de 2012


Capítulo 4_________________Parte 2

0

Segui em frente, e fui pensando em como foi louco esse encontro e convite. Foi meio rápido demais e inesperado, certo? Pois sim. Chegando a frente ao colégio consegui sentir a Miley correndo em minha direção parecia um furacão.
-         Meu Deus garota. Onde que você estava ontem? Não consegui falar contigo o dia inteiro.
-         Eu vi, tinha 25 chamadas perdidas. Pois bem eu quis folgar uma aula, não estava afim oras.  – nós fomos caminhando até a porta de sala enquanto ela ficou reclamando de como eu não estava sendo uma amiga boa de inicio de amizade blá blá... Que no mínimo eu tinha aprontado alguma e que ela tava de olho e mais blá blá. – Ok Miley! Já entendi, beleza, agora vamos mudar de assunto. Cadê a Selena?
-         Ela está lá com uns garotos, piriguete é assim mesmo! – nós rimos, a Selena não é o tipo de santa, mas também não é a pior das pior digamos que ela é carente por isso sempre está com algum garoto ou agarrado em vários. Nicholas estava chegando perto de nós, e veio com um sorrisinho sedutor.
-         Bom dia Miley, bom dia Demetria linda. – e pisco pra mim.
-         Bom dia Nicholas! – bufei
-         Bom Nicholas, cadê o seu irmão que não aparece em casa há dois dias?
-         E eu vou saber?! – respondeu Nicholas.
-         Ah, tenho que te apresentar o irmão do Nicholas, o Joseph, é mais velho, mas é um amor. – sorriu, mas de repente do fundo do corredor que estava aglomerado de jovens de todos os estilos, personalidades e jeitos... Surge o príncipe, ou melhor, um dos príncipes do colégio: Joseph Campbell. Vi-o mandando beijos e beijando rostos de várias garotas. Ele foi alvo do colégio inteiro por uns 15 minutos no mínimo – idolatrado até não poder mais –, logo só consegui escutar a professora gritando para nós entrarmos para sala. Eu ignorei toda aquela confusão, e entrei pra sala. Jura que eu ia ficar dando moral pra tudo isso? Miley entrou direto pra sala e foi ao encontro de Nicholas que ficaram a conversar e rir.  Quando o meu pé estava se encontrando com o outro lado da porta que no caso dentro da sala, alguém me puxa, mas isso tudo a confusão já estava terminada.
-         Oi Demi.
-         Oie, legal você por aqui, quer dizer, legal nós nos encontrarmos aqui não é? – fiquei toda atrapalhada, vish.
-         Você tá bem?
-         Tô sim, tchau! – entrei rápido na sala, me sentei e peguei meu livro de história.
Eu não queria ficar ali, sério. Sei lá, parece algo bagunçou meu estomago ou algo do tipo. Eu me desliguei completamente da aula eu não tinha percebido nada e nem se alguma hora a professora me chamou. O sinal bateu me levantei e fui indo pro refeitório. Na metade do caminho ouvi meu nome sendo gritado, ou melhor, chamado.
-         Demetria! Demetria! – meu nome se repetia várias vezes, ignorei, não estava a fim de conversar e só me concentrar no encontro de hoje a noite. Jeremy, que homem meu bem! Que homem!Senti meu braço sendo puxado, dei um giro e parei nos braços de Nicholas. – o que você quer Nicholas? – eu estava completamente em seus braços e a respiração dele ficou ofegante – diga-me logo de uma vez, eu quero ir comer! – ele não respondeu, ficou bobo, ou melhor, se perdeu na minha fala ou nos meus olhos porque foi nisso que me pareceu, senti a respiração dele e tentei encontra-lo nos seus olhos, mas ele só demonstrava uma paralisação inexplicável. – fala porra!
-         Demi...Demetria...Dem...Demi – ele gaguejava e não saia nada além de Demi ou Demetria – eu queria lhe perguntar uma coisa, só que eu esqueci... Desculpa, eu não queria que tivesse acontecido isso gata! – ele coçou a nuca
-         Tenta se lembrar, pelo menos isso... Depois você me diz. – virei às costas, mas ele me puxou novamente e me depus em seu peito, quer dizer fiquei naquela situação novamente. – para de fazer isso! – exclamei.
-         Ok, é hábito as garotas caírem em meus braços. Acostume-se.
-         Engraçado, só que não.
-         Bom, eu ia lhe perguntar se você não quer ir a uma festa nesse s[abado. É uma festa da Ashley, porém ela é patricinha, MAS suas festas são as melhores. Ignore o fato de ser ela que vai dar festa. – ele entregou o convite – E não pense que é uma festa de gente velha e blá blá. É boa.
-         Valeu pelo convite Nicholas, vou pensar se vou. – dei um beijo demorado em seu rosto, virei às costas e ele me viu partir.

        Seria bom se eu fosse nessa festa? Por que tipo: eu poderia conhecer mais gente, fazer amizade, conhecer alguém legal ou algo assim. Enfim, sentei no lado de Miley no refeitório – ele me olhou com uma cara estranha -, foi ai que eu disse: Você vai à festa da Ashley?
-         Não sei, mas acho que sim. Por quê? Você não quer ir?
-         Sei lá, eu não to no clima de festas... ESSA semana. Sabe?
-         Sei sim, mas relaxa. Vai chegar sexta e você vai estar louca pra sair, tipo aquele dia sabe? – ela riu e a Selena se aproximou, sentou-se na nossa frente.
-         Olá gente, vão à festa da Ashley? Eu vou, to animadíssima. – e no mesmo estante, a mesma, chegou a frente a nossa mesa.
-         É claro que vão, não é garotas? Estarei as esperando com um enorme prazer. – abriu um sorriso, ela estava acompanhada com suas cadelinhas que a idolatravam e faziam tudo que ela queria.
-         É quem sabe Ashley. – respondi, ela saiu e as outras atrás dela.
-         Ela é legal gente, parem de ser assim. – disse Selena enquanto roubava uma mordida do sanduíche da Miley. De repente um menino se aproximou carregado de livros, só que com um estilo totalmente diferente do que é.
-         Olá Miley, olá Selena e olá...?
-         Demetria.
-         Ah sim, Demetria. Olá Demetria. Então você é a garota nova? Ah legal! Já me falaram de você, sou Justin. – ele sorriu, que fofura!
-         Prazer Justin. – sorri.
[...]
São 18:00 eu vou começar a me arrumar porque o Jeremy vai vir me buscar as 20:00 e eu estou ansiosa. Não sei por que, mas sim... Estou. A Miley me ligou me perguntando se eu queria sair, a Selena me ligou perguntando se eu não queria ir ao cinema, o Nicholas me ligou pra mim ir a uma festa com ele, Justin me ligou pra ver umas coisas legais de que eu e ele gostamos – sim, viramos ótimo amigos – e por último, Joseph me ligou me chamando pra sair. Porém, tive que recusar o convite de TODOS!É triste, mas tive que faze isso.
[...]
De repente quando eu estou na metade da minha maquiagem sabe? Recebo 3 mensagens. Eu clico na primeira para ler, é Nicholas.
“Você não me atende, ignorou meu convite... Está tudo bem? Me liga!”
Próxima é de Joseph:
“Oi, senti sua falta hoje de tarde, queria muito te ver pra gente tirar mais fotos. Liga pra mim, por favor. Beijo!”
E por último é de Joseph também.
“Topa sair comigo domingo? Eu quero fazer uma coisa especial para nós. Vai ser divertido.”
Que amores, mas bom... Eu tenho um encontro agora né? Não posso ficar me preocupando com dois garotões irmão lindos e sensuais. Recebi uma ligação de Jeremy, ele já está lá frente. Desci Robert não estava em casa. Melhor ainda. Tranquei a porta e entrei no carro.
-         Olá Demi. – beijou meu rosto com um beijo demorado e molhado.
-         Oi Jeremy.
-         Está linda, pronta?
-         Pronta!

Desculpa pela demora haha. Ta ai a parte 2, espero que gostem! Quero comentários ok? Beijos.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012


Parte 2

2
A parte 2 eu vou postar em breve, quem quer?

sexta-feira, 12 de outubro de 2012


Capítulo 4______________Parte 1

2
Ele se levantou e nós fomos andando - sem destino. Ele foi tirando fotos espontaneamente de tudo e de mim, sim, até de mim. Eu ria e ele ria, eu fazia beicinho e ele também. Eu o mandava se foder e, ele me puxava e tirava mais uma foto. Garanto que tinha umas 40 fotos minhas na maquina fotográfica dele e todas foram tiradas a força ou eu não tinha percebido. A gente tinha comprado um sorvete, o meu sorvete caiu e ele riu, mas logo tirou uma foto minha com um beiço tão grande e triste. Joseph me deu o sorvete dele e sorriu com um brilho no olhar muito desconhecido, mas lindo ao mesmo tempo. Nós acendemos um cigarro e sentamos num banco em frente à torre mais linda, Torre Eiffel. Damos tragadas leves e ficamos a admirar aquela paisagem magnífica.
- Que coisa mais linda, porém é a única coisa que presta nessa cidade. – eu disse enquanto soltava a fumaça pela boca
- É linda mesmo, mas por quê? Não gosta de morar aqui?
- Não, e nunca vou gostar por motivos pessoais. Eu recém cheguei e já quero ir, mas como eu não posso e não tenho pra onde ir me obrigo a ficar.
- Sério? Onde você morava? Eu moro aqui desde que me conheço por gente e amo essa cidade, apesar de a minha vida não ser muito boa em questões pessoais também.
- Que merda, mas fazer o que. Que horas são?
- Dez horas
- Caralho! Era pra mim estar no colégio, mas foda-se agora.

[...]

Logo em seguida ele me mostrou e ensinou umas coisas interessantes sobre fotografia, coisa que eu nem sabia que existia e etc. A gente foi em direção a Torre Eiffel e subimos aqueles lances de escadas até chegar ao alto, nós preferimos a escada invés do elevador. Eu queria aventura, ele também. Quando chegamos lá, cansativos, eu consegui observar Paris inteira e me admirei, nós nos encostamos ao corrimão ou sacada, não sei a palavra certa pra isso e ficamos a observar. Eu sentia o vento bater na minha nuca e no cabelo bagunçado de Joseph, ele lançava sorrisos e eu ficava tímida. Ele era diferente, mas não. Não é meu tipo, é pode ser considerado peguete da noite ou um rolo por uma semana e é apenas isso.
- Eu vou tirar uma foto nossa ok?
- Não
- Vamos, por favor!
- Ta, só uma.
Nós nos posicionamos e pronto, tiramos.

  Eu não gostei, mas fazer o que? Ele gostou. Passou algumas horas, ficamos conversando, trocamos telefones e quando ele me disse onde estudava e de QUEM era irmão... Fiquei boquiaberta.
- Oque? Você é irmão do Nicholas? É sério? É piada, só pode. É que tipo... Bom, sei lá. É estranho. – Eu sei pode ser estranho esse meu ataque, mas ninguém sabe o que aconteceu na noite que eu saí com a Miley.
- Por quê? Vocês se conhecem? Eu não sabia. Eu sou mais velho que ele, um ano, mas mais velho mesmo assim.
- É que eu o conheço, bom eu sou colega dele e tal. – eu tentei parecer o máximo de calma possível.  
- Sério? Quer dizer que tipo nós estudamos no mesmo colégio? Que legal! – exclamou ele
- É, pode ser legal até. – eu ri e ele soltou um suspiro

Nós descemos e fomos indo em direção a minha casa, fumamos mais um cigarro, ele tirou mais fotos, ri mais vezes, conversamos pra caralho e eu o adorei. Ele se tornou um amigo, ou melhor, um parceiro. [...] Chegamos em frente a minha casa e vi Robert e uma loira alta, mas de aparência mais nova se despedindo. Ela entrou em um carro sofisticado, lançou um beijo para ele e saiu na maior velocidade – nem percebeu que eu estava ali.
         - Bom dia filha
         - Olá Robert – desviei e puxei Joseph, ele me olhou com atenção e esperou eu falar alguma coisa, mas Robert se aproximou.
         - Eu vou trabalhar Demetria... OPA! Não é pra você estar no colégio? E quem é esse? Seu namorado? – veio uma série de perguntas que eu não estava a fim de responder
         - Porra, vai trabalhar! Ele não é meu namorado, eu não tô no colégio por que eu não quero satisfeito? – ironizei, e levei Joseph pra dentro da casa.
         - Quanto amor com seu pai
         - Pai o caralho, progenitor! Velho chato – irritei-me, me joguei no sofá e Joseph sentou-se calmamente ao meu lado.
         - Ok, não vamos falar nele... Percebi que você não quer falar sobre isso.  
[...]
Eu acordei com dor de cabeça, são 6:00 da manhã o dia está claro até demais. Levantei com muita força, fiz a rotina diária. Quando eu estava indo descer, percebi uma coisa estranha, um sutiã no chão, porém não é meu. Abri um pouco a porta do quarto de Robert e vi ele dormindo abraçado na loira que estava aqui no dia anterior. Ridículo. Nojento. Só trás puta pra dentro de casa. Ignorei-os, me vesti e fui indo pro colégio. Eu estava mexendo na minha bolsa procurando meus cigarros, não os encontrei e consegui esbarra numa pessoa sem querer. Um homem na verdade, mas não qualquer um, um lindo!
      - Me desculpe! Eu não tinha lhe visto. Sou Jeremy, prazer. – ele sorriu e deixou suas covinhas aparecer, ele era muito lindo e gostoso. Tudo de bom! Eu fiquei sem palavras por alguns segundos não consegui deixar escapar nem um “oi”, “não foi nada” ou algo do tipo.
       - Foi.ooi.i nada! – só gaguejei nas palavras e fiquei vidrada em seus olhos azuis cristalinos – Prazer sou Demetria.
         - Lindo nome! Está indo aonde?
         - Pro colégio, e você?
         - Novinha ainda – ele riu – eu estava indo tomar uma café e comer uns biscoitos, uma café matinal simples.
          - Bom, se você quiser eu posso lhe fazer companhia. – sorri, corei.
       - Claro, eu iria adorar. – nós fomos ao lugar mais próximo dali e nos sentamos, ele pediu um café forte e uns biscoitos de baunilha e chocolate. - Eu já lhe disse que seu sorriso é lindo?
Corei.
         - Não fale para agradar, por favor!
         - E não estou, estou lhe dizendo isso por que é verdade. Tens um dos sorrisos mais lindos que já vi.
       - Muito obrigada então! – exclamei e logo em seguida chegaste seu café da manhã, ele era sofisticado e muito rico pelo jeito, mas eu não me importo com isso. Ele é lindo e é adorável.
[...]
Ele terminou de fazer sua refeição, pagou e nos levantamos. Ficamos conversando um certo tempo, eu ia pro colégio logo em seguida então ele veio pra perto pra se despedir.

         - Muito obrigado Demetria pela companhia, eu adorei. Espero lhe ver mais vezes, você é maravilhosa.
         - Nossa, obrigada você com toda essa gentileza.
         - Eu poderia lhe fazer um convite?
         - Claro!
        - Você não gostaria de jantar hoje comigo? Estou sem compromisso e estou louco pra ir ao restaurante novo que estreou ontem aqui em Paris.
         - Bom, eu adoraria.

Trocamos telefones.
        - Ótimo, lhe pego as 20:00 pode ser?
         - Perfeito, até mais Jeremy,
   - Até mais Demetria – ele veio em direção ao meu rosto e beijou suavemente minha bochecha, corei novamente, caralho.

E nós desviamos nossos caminhos.




Quero Comentários, se não... não vem a parte 2.

sexta-feira, 5 de outubro de 2012


O que vem por ai...

2
Quem quer o capítulo 4? Comentem!!

segunda-feira, 1 de outubro de 2012


Capítulo 3_________O Recomeço

7
Algumas horas se passaram, e eu levantei rapidamente de cama para ir me arrumar. Eram 19:00 e eu já estava me preparando para o que estava me aguardando: Paris, sim, o centro parisiense, as avenidas com mulheres se vendendo em vitrines, muitos adolescentes diferentes e sofisticados e entre outras coisas. Depois de ter me produzido muito e coisa assim, eu desci as escadas e vi meu “pai” se pegando com uma louca. Sério? Precisava. Fiz um sinal que: “Caralho, eu tô aqui, sabe?”.
(Visual de Demi -> aqui)
- Filha, me desculpa... Não tinha lhe visto. – ele se virou para mim e deu um olhar de ‘eu não sabia’. - Deixa para lá, eu vou sair ok? Não sei que horas volto e nem sei se volto, tchau. – fechei a porta com força e vi Miley em seu Mustang original e super transado – porém era antigo e preto. Entrei no carro e disse:
- Olá Miley.
(Visual de Miley -> aqui²)
 - Olá Demi, dá pra te chamar assim não é? – ela deu um sorrisinho e ligou o carro.
- Eu deixo. – ri e liguei o som. Eu estava admirada com a beleza de Paris, quando fica noite fica mais lindo e mágico. As pessoas, os lugares, os pontos turísticos, como as coisas funcionavam aqui era muito mais claro do que lá em Londres.
- Demi, pega minha carteira na minha bolsa e a abra.
- Ok, pode deixar. – me virei e peguei a bolsa de Miley, abri sua carteira e perguntei: Ta e agora? É pra mim pegar o que?
- Têm duas camisinhas ai, uma é pra você. – ela riu e eu tive que rir também. Tenho que falar que a embalagem da camisinha tinha uma coisa escrita como “Paris, la ville de l'amour.” Traduzindo: Paris, a cidade do amor. E pode uma coisa dessas? A embalagem de uma camisinha ter isso escrito? Quem é que vai ficar prestando a atenção numa embalagem? É cada uma... Miley acendeu um cigarro e deu duas tragadas, e logo em seguida paramos na frente de uma boate – ela estava lotada e era um lugar bem iluminado, com muitas luzes e coisa assim. Miley estacionou o carro, nós descemos e paramos na fila.
 - É o seguinte Demi, daqui a pouco vai chegar umas pessoas ai e você vai conhecê-las, etc. Espero que goste delas. - Ok 
Passaram uns 5 minutos e chegou Nicholas e mais uma garota. 
- Demi, essa é a Selena e Selena essa é a Demi. – Miley nos apresentou e nós nos cumprimentamos. 
- Olá Demi, bom você pelo jeito com esse o Nicholas não é? – Selena me perguntou e eu respondi que: Sim!
(Visual de Selena -> aqui³)
- Todos me conhecem, meu bem! – Nicholas exclamou e nós rimos garoto metido!
 - Bom, não vai vir mais ninguém? – perguntei enquanto o Nicholas paquerava algumas meninas na nossa frente – que estavam na fila.
- Não sei, quem sabe. – disse Selena - A Miley falou que iria vir mais gente.
 - É, só que vai ver estão em outra no lugar e vai ver que eles estão em outro lugar também. – falou Miley. A fila andou mais um pouco e nós ficamos esperando até entrarmos.
- Bom, meninas eu consegui um furo por que eu sou o caro. Licença! – Nicholas deu um sorriso e foi agarrado em duas meninas, e entrou. Miley e Selena riram, e eu entrei junto na gargalhada. Nós acendemos um cigarro e ficamos a dar tragada enquanto ficávamos aguardando entrar. Depois de uns 5 minutos, nós conseguimos entrar. Quando nós entramos, era uma loucura, muita luz e uma música contagiante. Vi Nicholas com duas meninas no braço enquanto bebia um coquetel afrodisíaco. Selena foi direto pra pista e começou a dança, ou melhor, começou a dançar com vários garotos ali parecia um acasalamento de tanto que mexia aquele corpo. Tive que rir da situação dela, sério. Miley me puxou e nós fomos ali à parte de bebida.
- Dê-me uma vodca das mais fortes, por favor. Duas ok?
 – Miley tinha pedido enquanto se virava para as pessoas da boate e via Selena naquele mexe-mexe com vários meninos.
– Agora é só caçar ou observar. Boa sorte Demi! - Assim, claro. Hoje eu irei ficar só na bebida. A vodca tinha chegado e nós a tomamos na base do gute-gute. Depois fomos para pista de dança e dançamos muito, sério, nunca dancei tanto. A Selena se juntou a nós e ficamos dançamos minutos depois Nicholas deu para chegar numa entrada triunfal no meio de nós. Nós quatro ficamos dançamos, e bebendo. A noite foi boa! [...]

Acordei 7:30 da manhã exausta e com muita ressaca. Arrastei-me até o banheiro e lavei meu rosto varias e varias vezes. Minha preguiça falando mais alto do que a vontade de ir pro colégio, mas com muita paciência que eu ainda tenho fui pro meu quarto de volta, abri o guarda roupa e peguei a primeira roupa que vi. Vesti-me, desci e vi que Robert ainda estava dormindo. Fui andando pro colégio mesmo, parei numa cafeteria e comprei um café bem quente e docinho. Enquanto eu estava tomando o meu café, percebi que logo em frente tinha um garoto que fotogravava diversas coisas desde um senhor sentado com um jornal numa praça até o sol iluminando a Torre Eiffel. Ele acendeu um cigarro, sentou-se num banco perto das arvores, deu uma tragada - soltou a fumaça, voltou com o cigarro a boca -, ficou observando suas fotos na câmera e eu só o observei. De repente eu acho que meio que ele viu que eu estava o observando, ergueu a câmera em direção a mim e mirou: click ou clack, foi o som que soou na manhã de Paris sobre a minha pessoa. Desviei o olhar, quando estava próximo a ele, ele disse:
- Não sabia que gostava de admirar as pessoas tirando foto - ele levantou-se e me olhou bem no fundo de meus olhos.
- Não sabia que gostava de tirar foto de desconhecidas. - sorri e ele retribuiu o sorriso
- Prazer, Demetria Stanford. Você vai continuar tirar fotos de mim ou vai me dizer o seu nome?
- Só se você quiser. Prazer, Joseph Campbell. - ele estendeu a mão e eu a apertei. - Você esta indo para aonde?
- Eu estou indo pro uma coisa muito chata chamada escola. - tirei um cigarro do maço, o acendi e dei uma tragada. Soltei a fumaça e o observei.
- Sei como é, eu não gosto da escola por isso eu falto. Escola é pra perdedores isso não é pra mim, a minha vida é fotografia e mulheres, bom... Fotografia, mulheres, festas, cigarro, mulheres, fotografia e é por ai... - ele riu e eu também - Você não toparia matar aula hoje? Assim eu ensino umas coisas bem legais sobre fotografia...
- Foi a melhor ideia que eu ouvi até agora desde que eu cheguei em Paris, topo sim.
- Então vamos!


Quero comentários! Vou demorar pra postar o próximo então...caprichem nos comentários, por que talvez podem vir dois juntos haha